A Guardiã de Histórias de Victoria Schwab

Título: A Guardiã de Histórias
Título original: The Archived #1
Autor (a): Victoria Schwab
Ano de lançamento: 2016
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 322
Compare e compre aqui: Amazon - Saraiva - Submarino

Sinopse: Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras. Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo. Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias – geralmente violentas – de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.



Em A Guardiã de Histórias, descobrimos que em nosso mundo existe um Arquivo, em que representações de corpos humanos são guardados em prateleiras. Esses corpos são as Histórias, e nele estão registrados todas as lembranças e informação das pessoas. Para cuidar desse grande arquivo existe uma equipe dividida em três grupos. Os primeiros são os Bibliotecários, os responsáveis por manter as histórias em ordem e catalogá-las para o arquivo. O segundo grupo são a Equipe, guardiões que trabalham em dupla, resgatando as histórias que fogem para o Exterior – o mundo que conhecemos. E por último temos os Guardiões, que são os responsáveis por “retornar” as histórias que despertam e vagam pelos Estreitos para o arquivo.

Mackensie Bishop tem apenas 16 anos e é uma Guardiã de Histórias. Enquanto tenta lidar com a perda recente de seu irmão mais novo, uma mudança de cidade e a falta de tato com seus pais, Mac tem que encontrar tempo e desculpas para cuidar de seu trabalho como guardiã. Um trabalho que ela mantém em segredo desde seus 12 anos, quando recebeu precocemente de seu avô o legado de continuar a proteger o passado.

Ser guardiã consiste em encontrar as histórias que despertaram e fazê-las retornar pelas portas dos estreitos. A maioria das histórias que despertam são de pessoas que viveram uma vida agita ou morreram com grandes inquietações, o que acaba perturbando seu sono. Quando uma história desperta, o nome e a idade da história são escritos num pedaço de papel que Mac sempre carrega consigo, junto com uma chave que torna algumas portas em portais para os estreitos. O problema é que quanto mais velhas as histórias, mais perigosas elas ficam.

A cada dia que passa em seu novo lar o Coronado, um antigo hotel convertido em apartamentos convencionais, a lista de histórias despertas fica mais cheia, e Mac observa que as histórias que despertam são cada vez mais velhas.

Uma das habilidades de um guardião é poder “ler” as coisas, ler as lembranças gravadas em lugares, objetos e até pessoas vivas. Quando resolver ler as lembranças de seu quarto Mac descobre que um assassinato foi cometido naquele mesmo quarto muitos anos atrás, mas nenhuma de suas pesquisas dá resultado, e as pessoas simplesmente preferem apagar da história o ocorrido.
Em meio ao turbilhão de complicações em que sua vida se encontra, Mac tentará de todas as formas descobrir o passado encoberto do lugar. O que não será fácil para nossa jovem guardiã, pois muitos segredos se escondem nas paredes do Coronado.

A leitura desse livro foi como estar em uma montanha russa. Comecei a ler com as expectativas lá em cima, ainda no início elas caíram um pouco, para logo depois subirem novamente. O cenário é totalmente diferente do que já li, e o mistério chega de uma forma suave e rapidamente estamos envolvidos nas tramas que se passam nesse estranho lugar. Não sei ao certo o que esperava do livro no início da leitura, mas em alguma parte fiquei bastante presa a trama e fiquei com um ótimo sentimento de conclusão quando a Mac descobre a verdade.

Em relação aos personagens eu achei eles bem interessantes. Como a Mac consegue ler as pessoas com o toque, dá para ter uma noção diferente de cada um, do que teríamos sem esses sutis detalhes. Um personagem que me conquistou foi o Sr. Nix, apesar de sua breve aparição na história. Já o Wesley não caiu nas minhas graças, o achei um personagem muito carregado e controverso. Um adolescente que se veste todo de preto, usa o cabelo meticulosamente espetado e um delineador, não corresponde a personalidade otimista e carismática que ele demonstra.

A história escrita em primeira pessoa e sobre o ponto de vista de Mac, deixou tudo muito pessoal. Em alguns trechos identificamos que são os pensamentos dela a respeito de algo e não apenas a narrativa do que vê. Esse tipo de escrito nos aproximas mais da personagem e em alguns momentos parece que estamos dentro da cabeça dela, o que foi bem legal.


Uma coisa muito legal e que me chamou bastante atenção na história foi o arquivo/biblioteca. Um lugar onde o passado é preservado, não em livros, mas em corpos foi uma visão muito diferente e interessante. Quem não gostaria de registrar suas lembranças para jamais serem esquecidas, e poder revivê-las sempre que quisesse com apenas um toque das mãos? Eu gostaria.

Topo